terça-feira, 26 de abril de 2011

Da Saudade

Abro a porta e de imediato
Cheira-me a ti.
Inalo profundamente e
tomo consciência da saudade, da falta...
Abraço-te com o olhar e,
com deleite, com uma pontinha de excitação até,
percorro-te.
Passeio-me por ti,
exploro cada canto, cada recanto quase como
uma primeira vez.
Ou antes,
Melhor que uma primeira vez!
Já não há aquela excitação do desconhecido,
mas há o entrosamento, a cumplicidade.
Não há a adrenalina do como será,
antes a certeza do conhecimento mútuo.
Não há tão pouco, a timidez, a estranheza disfarçada de aventura
dos primeiros tempos, mas há a sensação de pertença.
É estranho, é esquisito!
Nunca apostei muito nesta relação mas,
ao fim de quase quatro anos, reconheço incrédula que me conquistaste.
Foram só uns dias e deu para sentir a falta, deu para sentir saudade,
deu para sentir-te como o meu porto de abrigo.
Se será para sempre?
Não sei!
Tu és a prova de que não tenho medo de recomeços.
Mas, no aqui e agora, efectivamente, adoro-te!!

Não há como a nossa casa verdade?

12 comentários:

  1. Olá

    Efectivamente, já vi tens um gosto bastante criativo, se a tua casa for como as tuas peças, é no minimo espetacular.

    Bj

    ResponderEliminar
  2. Home sweet home.. ha poucas coisas que nos dão tanto prazer por simplesmente lá estarmos...

    beijos

    ResponderEliminar
  3. Ó mulher... que saudades mas de ti...

    Beijão :)

    ResponderEliminar
  4. Depois da ausência, nada se compara ao lar doce lar. Muito bem (d)escrito ao style "Isabelices" eheheheheeh :-)

    Beijinho e boa semana ^_^

    ResponderEliminar
  5. A minha casa às vezes tem cheiro, mas abro as janelas e aquilo fica mais agradável. ;)

    ResponderEliminar
  6. Olá Vintenso!

    Já vi que me compreendes...

    Nada na vida é um dado adquirido e a minha filosofia é exactamente disfrutar enquanto dura.

    Sou completamente apaixonada pelas minhas coisas, pelo que é meu mas, ao mesmo tempo tenho um lado desprendido que me resguarda das surpresas menos boas digamos assim.

    Abreijos

    ResponderEliminar
  7. Olá Paulo!

    Lar doce lar...pois!

    A casa onde moro é minha mas ainda reluto um bocadinho em chamar-lhe lar.

    Por circunstâncias que não vêm ao caso encarei-a mais como um investimento daí a estranheza de lhe ter sentido a falta.

    A vida já me ensinou a não me apegar demasiado ás coisas mas o que é certo é que me souberam tão bem as mini férias como o ontem chegar e sentir-me em casa!

    Beijo tranquilo

    ResponderEliminar
  8. Orquídea....

    É quase tão bom sentir saudades como saber que tiveram saudades de nós!

    Bj

    ResponderEliminar
  9. Olá Rafeiro


    Ia dizer perfumado mas prefiro brincalhão...
    Teres uma casa com janelas é realmente uma mais valia no entanto outra coisa não era de esperar de um rafeiro perfumado!!

    ResponderEliminar
  10. És muito simpática a comentar os comentários...Gosto de gente assim~~

    ResponderEliminar
  11. Hummmm

    E eu gosto de caracóis, logo estamos quites!!

    ResponderEliminar

 
Página Inicial